O cinema feito de detalhes


Alunos de DAV aprendem a usar a câmera Black Magic com o professor Stefan Hess

As aulas de Direção Audiovisual (DAV) e Interpretação para Produções Audiovisuais (IPA) do dia 28 de setembro foram segmentadas para melhor atender aos grupos de cada curta. A turma de DAV contou com a consultoria do professor Stefan Hess, fotógrafo a mais de 30 anos e diretor de fotografia do filme “O Sonho de Inacim”, que já havia dado aulas de chroma key e fotografia para a classe. Desta vez, o conteúdo teve mais detalhes, ele abordou a câmera Black Magic, que foi utilizada para gravação dos curtas. Pesada, a câmera profissional ajuda a dar um visual cinematográfico, que é diferente das câmeras fotográficas, pois é voltada para a gravação de vídeos. Cada filme é visualmente e tematicamente diferente um do outro: enquanto um aborda o drama familiar e religioso de uma maneira mais nostálgica e lúdica, outro aborda com puro suspense e temor. Portanto, além da consultoria, cada grupo também escolheu cenas “desafiadoras” de realização, que envolvessem luz ou fotografia, para fazer testes em sala, sobre como iriam proceder na gravação. Cenas com muitas cores, movimentação de uma câmera pesada, jogo de luz e foco, bem como outras questões.


Além do aprofundamento no aspecto da fotografia, os grupos se revezaram para realizar testes de figurino e ensaio geral com seus atores. A turma de IPA já vem trabalhando os ensaios a algum tempo: nesse dia em questão, diretor e elenco buscaram fazer um ensaio que englobasse momentos-chave do filme, enquanto antes era focado mais em uma ou duas cenas. Dessa vez, com essas cenas já bem ensaiadas e praticadas, a equipe pôde ajustar alguns aspectos da interpretação, como também dar espaço a outros.


Teste de figurino do curta "Sabotagem"

O teste de figurino foi feito a partir de uma busca já realizada antes acerca da estética que os realizadores pensaram, bem como o tipo de roupa que os atores acreditam que seus personagens usariam. Nesse quesito deve haver um cuidado sobre não “pesar” demais a mão, na questão do figurino e da cenografia, para não correr o risco de carimbar o personagem em algum estereótipo. O visual ajuda a contar a história tanto quanto o texto, entretanto, os dois precisam estar em harmonia para transmitir a mensagem. É interessante pensar os personagens e cenários a fundo, conhecendo-os e fornecendo elementos que, podem nem estar citados no roteiro, mas que ilustram o visual da obra. Com isso em mente, além da análise de roupas, certas minúcias também foram trabalhadas: no filme em produção “A Promessa”, por exemplo, a história focada numa família de três irmãos que perderam a mãe, e são movidos por uma forte religiosidade, precisa de fotos de família e figuras de santo em alguns espaços, para convencer quem faz e quem assiste.


Essas minúcias mostram como o cinema é feito de detalhes: são pequenos elementos, feitos simultaneamente por várias pessoas, que precisam estar em harmonia sobre o produto final. E para trazer realidade pra aquilo, é necessário olhar seu entorno, pois todo filme busca uma mensagem: a transmissão de algo que pulsa em seus realizadores e que eles querem trazer ao mundo. Com o cinema, vendo ou fazendo, você olha seu entorno e fala do tempo, a vida e chega ao ponto de convencer um estranho para te ajudar.


Ensaio de cena do filme "A Promessa"


PÁGINAS

PROJETOS

INFORMAÇÕES

contato@pontosolidario.org

55 (21) 3106-9995

Ponto Solidário, Guadalupe, RJ - Brasil

© 2019 por Guilherme Rocha | Ponto Solidário